sábado, 14 de maio de 2011



ORIENTAÇÃO SOBRE A TROCA DE ENTIDADE E DE CARTÃO TRADICIONALISTA

Pelo presente venho esclarecer sobre a troca de entidade os procedimentos a serem adotados pelas entidades tradicionalistas a seguir descritos:

DA ENTIDADE DE ONDE O (A) ASSOCIADO (A) ESTÁ SAINDO:
CARTA DE LIBERAÇÃO:é um documento, assinado pelo patrão liberando o (a) associado (a) que deverá ser emitido por ocasião do desligamento da entidade entendendo-se por este instrumento que o (a) associado (a) não tenha mais nenhum vínculo e pendências para com a mesma. Alertamos para que não venham sofrer sanções de ordem jurídicas, sobre o direito constitucional de ir e vir, portanto a carta de liberação não deve ser usada com impedimento a este direito.

DA ENTIDADE QUE ESTÁ RECEBENDO O (A) ASSOCIADO (A)

1. Deverá exigir a CARTA DELIBERAÇÃO, instrumento pelo qual o (a) associado (a) demonstrará que não há nenhum impedimento por parte da antiga entidade do (a) mesmo (a).

2. A entidade deverá providenciar na confecção de um novo cartão tradicionalista, cuja ficha de pedido será assinada pelo patrão, juntamente com o (a) associado (a). Para este procedimento deverá ser observado o seguinte:

a) que conforme aprovado na 75ª Convenção do MTG em São Gabriel em 31 de julho do corrente ano, a partir daquela data O PRAZO PARA TROCA DE ENTIDADE ficou assim definido:

PRAZO PARA TROCA DE ENTIDADE - Os associados poderão trocar de entidade a qualquer tempo, devendo apenas cumprir o prazo mínimo de um ano com cartão pela antiga entidade, caso este prazo não seja cumprido, deverá pagar o valor de uma anuidade plena, cujo valor é reajustado mensalmente conforme tabela abaixo e publicada no site do MTG, mais o valor do cartão.
Esta taxa é dividida (conforme 74ª Convenção de Porto Alegre), 50 % para a entidade que está liberando e 50 % para a Região.

TABELA de valores das anuidades de entidades Plenas para 2010:
Janeiro R$ 568,52;
Fevereiro R$ 584,08;
Março R$ 594,76;
Abril R$ 600,10;
Maio R$ 605,44;
Junho R$ 610,78;
Julho R$ 616,12;
Agosto R$ 621,47;
Setembro 626,81;
Outubro R$ 632,15;
Novembro R$ 637,49;
Dezembro 642,83.

Salientamos ainda que:

1. A CARTA DE LIBERAÇÃO não está vinculada à taxa, a qual poderá ser cobrada no momento de encaminhamento do novo cartão.

2. Tendo em vista que não foi definida na proposta da Convenção a forma de pagamento, entendemos que a Região deva administrar este procedimento, ficando assim definido:

a) No momento em que for encaminhado o pedido do cartão tradicionalista por motivo de troca de entidade, deverá ser encaminhada além da carta de liberação, cópia do recibo assinado pelo patrão, referente ao pagamento de 50 % do valor de uma anuidade de entidade Plena e mais o comprovante de depósito em nome da 1ª Região Tradicionalista, banco 041 (Banrisul) Agencia 0100 conta nr. 0687091109, no valor dos 50 % restantes da referida anuidade.

b) Caso a entidade de onde o (a) associado (a) está saindo, abra mão da sua parte da taxa, deverá ser encaminhada uma declaração com este teor assinada pelo patrão.
--

Cesar J Tomazzini Liscano Coordenador da 1a. RT

REVOLUÇÃO FARROUPILHA


Revolução Farroupilha

A BRAVURA DOS GAÚCHOS E A LUTA PELA LIBERDADE
Saga Farrapa marcou o Rio Grande As comemorações da Revolução Farroupilha - o mais longo e um dos mais significativos movimentos de revoltas civis brasileiros, envolvendo em suas lutas os mais diversos segmentos sociais - relembra a Guerra dos Farrapos contra o Império, de 1835 a 1845. O Marco Inicial ocorreu no amanhecer de 20 de setembro de 1835. Naquele dia, liderando homens armados, Gomes Jardim e Onofre Pires entraram em Porto Alegre pela Ponte da Azenha.
A data e o fato ficaram registrados na história dos sul-ro-grandenses como o início da Revolução Farroupilha. Nesse movimento revolucionário, que teve duração de cerca de dez anos e mostrava como pano de fundo os ideais liberais, federalistas e republicanos, foi proclamada a República Rio-Grandense, instalando-se na cidade de Piratini a sua capital.Acontecendo-se a Revolução Farroupilha, desde o século XVII o Rio Grande do Sul já sediava as disputas entre portugueses e espanhóis. Para as lideranças locais, o término dessas disputas mereciam, do governo central, o incentivo ao crescimento econômico do Sul, como ressarcimemto às gerações de famílias que lutaram e defenderam o país. Além de isso não ocorrer, o governo central passou a cobrar pesadas taxas sobre os produtos do RS. Charque, couros e erva-mate, por exemplo,passaram a ter cobrança de altos impostos. O charque gaúcho passou a ter elevadas, enquanto o governo dava incentivos para a importação do Uruguai e Argentina.Já o sal, insumo básico para a preparação do charque, passou a ter taxa de importação considerada abusiva, agravando o quadro. Esses fatores, somados, geram a revolta da elite sul-riograndense, culminando em 20 de setembro de 1835, com Porto Alegre sendo invadida pelos rebeldes enquanto o presidente da província, Fernando Braga, fugia do Rio Grande.As comemorações do Movimento Farroupilha, que até 1994 restringiam-se ao ponto facultativo nas repartições públicas estaduais e ao feriado municipal em algumas cidades do Interior, ganharam mais um incentivo a partir do ano 1995.
Definida pela Constituição Estadual com a data magna do Estado, o dia 20 de setembro passou a ser feriado. O decreto estadual 36.180/95, amparado na lei federal 9.093/95, de autoria do deputado federal Jarbas Lima (PPB/RS), especifica que "a data magna fixada em lei pelos estados federados é feriado civil".
 

Chimarrão combate colesterol

Em Zero Hora,
Um novo estudo aponta que a bebida típica dos gaúchos tem mais motivos para ser apreciada além de manter as tradições. Sorvido com frequência, o chimarrão reduz os níveis do colesterol ruim (LDL), segundo pesquisa do programa de pós-graduação do Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul. A primeira fase da pesquisa indica que a bebida é mais eficaz na redução do colesterol do que o chá verde.
O estudo constatou que quem tomou um litro de mate diariamente por oito semanas teve o colesterol LDL reduzido em 4,2%, em média, enquanto que quem bebeu chá verde ou chá de maçã não apresentou redução no índice. Quem consumiu chimarrão também perdeu, em média, meio quilo no período. Para cardiologista, mate não deve ser visto como remédio. Os resultados serão apresentados hoje no Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado (Socergs), em Gramado, pela nutricionista Bruna Pontin, mestranda do programa.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Rui Biriva - morre a alegria de bombacha.


Rui Biriva

Por Tânia Goulart




Como dói noticiar a morte de artista tão querido, de um amigo tão especial. Perdemos um cantor que era símbolo de alegria, alto astral, e amizade.
O Nico Fagundes sempre o apresentava “a alegria de bombacha tem nome, e esse nome é Rui Biriva”.
O Rui morreu às 22h45, deste 25 de abril, no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, onde estava internado para tratar um câncer de intestino. Segundo um dos integrantes de sua banda, o Luciano Camargo, o velório será na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. O enterro deve ser realizado em Horizontina, sua terra natal.
O Rui, aos 53anos, lutou como um guerreiro contra a doença que o tinha afastado dos palcos... e ficamos nós, seus fãs e amigos sem entender por que uma pessoa que só distribuía alegria e amizade precisava partir tão cedo...
Quando conheci o Biriva, no 1º Acampamento da Canção, em Campo Bom, ele ainda era o Rui da Silva Leonhardt, e conquistou a todos com a música “Rebanho de agonias”, uma das mais lindas que cantou:
"Um rebanho de agonias
me foi dado em testamento.
No rumo dos quatro ventos
esparramei alegrias.
Não canto melancolias.
Não sou pastor de tormentos.
Alegrias eu invento
guitarreando noite e dia"
O talento revelado nos festiviais logo passou a ser chamado de Rui Biriva, por ter cantado na Seara, festival de Carazinho, a música Birivas, do Airton Pimentel, em 82. Ele cantava música mais intimistas, como estas e Santa Helena da Serra... cantava com a alma... e continuou fazendo isso quando adotou seu estilo festeiro no palco. Ele era uma festa. Era contagiante seu alto astral, seu jeito querido de tratar a todos à sua volta.
O Rui colheu sorrisos por onde passou... fez pessoas terem momentos de felicidade em seus shows. Riu muito, fez os outros rirem e, quando se achava que o palco era o seu lugar ele nos apresentou outro talento: o de apresentador. E em seu programa na TVE nos encantava, mostrando como ninguém as relíquias dessa terra, desbravando a gente simples do Rio Grande e fazendo isso com muita alegria.
Por isso quando lembro dele agora e vem essa tristeza tão grande, chega a me dar um pontinha de vergonha... porque não é assim que se deve lembrar dessa pessoa tão alegre e feliz. Força à esposa, a Priscila, e ao seu filho Gerônimo. Que a gente supere essa tristeza lembrando da felicidade e alegria que sempre nos transmitiu. E como diz a música Canção do Amigo, que ele cantava lindamente “amigo é pra toda a vida”...

Prêmio Açorianos com cara de Oscar!



Por Tânia Goulart




Uma grande festa para a música feita no Rio Grande do Sul foi realizada na noite de terça, na capital. Com produção impecável, aos moldes da festa do Oscar, a festa de entrega do Prêmio Açorianos de Música destacou o melhor da produção de 2010. Na categoria regional a grande vencedora foi Shana Müller, que levou dois Açorianos: o de melhor intérprete e Disco do Ano, por Brinco de Princesa. Pelo mesmo disco, Érlon Péricles recebeu o troféu de Melhor Compositor. Outro destaque da noite foiPaulinho Fagundes, que levou quatro troféus – melhor instrumentista das categorias instrumental e regional, melhor arranjador e melhor compositor, na instrumental . Parabéns a eles!
Já o cantor e compositor Vitor Ramil venceu como Disco do Ano e DVD do Ano, com Délibab. O trabalho, composto por milongas, foi também o campeão da categoria MPB. Ele destacou que decidiu inscrever o disco na categoria MPB pois considera a milonga brasileira. Aliás, a família Ramil foi destaque da noite de premiação, já que seus irmãos, Kleiton e Kledir Ramil receberam a homenagem do ano pelo conjunto da obra. Cantores de diferentes estilos musicais cantaram sucessos da dupla durante a premiação. Entre Eles Pirisca Grecco, Neto Fagundes, Tedy Corrêa, Serginho Moah e Claus e Vanessa. Tantos outros que marcaram a história da música gaúcha também estiveram no palco, cantando ou apresentando: Luiz Carlos Borges, Vinícius Brum, Elton Saldanha, entre tantos outros. Parabéns também à Secretaria de Cultura e à equipe do Edson Erdmann, que garantiram uma noite de luxo!
EMOÇÃO: além da produção incrível, a noite de entrega do Açorianos de Música teve vários momentos emocionantes. O cantor e compositor Rui Biriva foi lembrado por diversos artistas de diferentes estilos, que destacaram sua importância na música e sua alegria. Entre os que o citaram, Airton dos Anjos, o Patinete, produtor musical que recebeu uma das menções honrosas da noite -muito legal a surpresa que recebeu, com artistas com os quais trabalhou, cantando para ele sucessos de suas carrreiras e também de Elis Regina, uma das artistas que lançou. No palco nomes como Neto Fagundes e Borguethinho.
Outro momento lindo foi o da homenagem ao radialista Glênio Reis. Após depoimentos de vários artistas e radialistas, sobre o seu papel da divulgação dos festivais nativistas e demais vertentes musicais, Glênio foi aplaudido de pé pelo público que lotou o Bourbon Country. Aos 83 anos ele esbanjou vitalidade e deu a receita: "O trabalho é que me faz chegar aqui hoje, firme, aos 83 anos".


Foram muito, muitos momentos arrepiantes da noite, como quando a atriz Araci Esteves declamou um poema de Luiz Coronel, em homenagem aos artistas que já nos deixaram... em um dos telões, a reprodução de fotos de nomes como Jayme Caetano Braun, Apparício Silva Rillo, Antônio Augusto Ferreira, Luiz Menezes, Zilá Machado, Geraldo Flach e Rui Biriva. Emocionante demais!
*A noite do Açorianos poderá ser conferida em um programa especial que será apresentado nesta sexta-feira, após a meia-noite, na TVCom (e também em seu site). O programa será reapresentado sábado, às 15 horas.
*PREMIADOS:
-Disco do ano: Délibáb (Vitor Ramil)
-DVD do Ano: Délibáb (Vitor Ramil)
-Espetáculo: Mahavidyas (Orquestra de Câmara Theatro São Pedro)
-Arranjador: Paulinho Fagundes, por Pedra Moura
-Produtor musical: Marcelo Fruet, por Apanhador Só (Apanhador Só)
-Produtor executivo: Andréa Ávila, por Bebeto Alves em 3D (Bebeto Alves)
-Projeto gráfico: Rafael Rocha por Apanhador Só
-Disco infantil: Jogos de Inventar, Cantar e Dançar (Viviane Juguero e Bando de Brincantes)
-Revelação: Gisele De Santi, por Gisele De Santi
*Regional
-Compositor: Érlon Péricles, por Brinco de Princesa (Shana Müller)
-Intérprete: Shana Müller, por Brinco de Princesa
-Instrumentista: Paulinho Fagundes, por Origens (Ernesto Fagundes)
-Disco: Brinco de Princesa (Shana Müller
*Blues/Jazz
-Compositor: Fernando Noronha, por Meet Yourself (Fernando Noronha & Black Soul)
-Intérprete: Fernando Noronha, por Meet Yourself (Fernando Noronha & Black Soul)
-Instrumentista: Fernando Noronha, por Meet Yourself (Fernando Noronha & Black Soul)
-Disco: Meet Yourself (Fernando Noronha & Black Soul)
*Instrumental
-Compositor: Paulinho Fagundes, por Pedra Moura
-Instrumentista: Paulinho Fagundes, por Pedra Moura
-Disco: Na Cidade (Pata de Elefante)
*MPB
-Compositor: Nelson Coelho de Castro, por Lua Caiada
-Intérprete: Gisele De Santi, por Gisele de Santi
-Instrumentista: Carlos Moscardini, por délibáb (Vitor Ramil)
-Disco: Délibáb (Vitor Ramil)
*Pop rock-Compositor: Bebeto Alves, por Bebeto Alves em 3D
-Intérprete: Bebeto Alves, por Bebeto Alves em 3D
-Instrumentista: Gustavo Telles, por Horizontes e Precipícios (Yanto Laitano)
-Disco: Apanhador Só (Apanhador Só)
*Rap-Compositor: W Negro, por Portal dos Anjos
-Intérprete: W Negro, por Portal dos Anjos
-Produtor: Divox, por Time dos Sonhos — Volume 2
-Disco: Portal dos Anjos (W Negro)
*Reggae-Compositor: Sander Fróis, por Só Pra Brilhar (Chimarruts)
-Intérprete: Tati Portella, por Só Pra Brilhar (Chimarruts)
-Instrumentista: Nê, por Só Pra Brilhar (Chimarruts)
-Disco: Só Pra Brilhar (Chimarruts)
***Fotos: Ivo Gonçalves/Divulgação
*CRÉDITOwww.jornalnh.com.br/blogs/abc-do-gaucho

Inscrições: Ponche Verde e Fronteira da Canção

Por Tânia Goulart



Atenção compositores, estão abertas as inscrições para mais dois festivais nativistas. Para o 26.º Ponche Verde da Canção Gaúcha, de Dom Pedrito (que será de 11 a 13 de novembro), as
inscrições seguem até 21 de setembro. E para mais um festival que surge em Santa Catarina, o 1.º Fronteira da Canção Nativista, que ocorrerá em Concórdia (dia 1.º de outubro), as
inscrições vão até 15 de julho. Confira abaixo os regulamentos dos dois festivais, enviados para o ABC do Gaúcho pelas devidas comissões organizadoras:

PONCHE VERDE DA CANÇÃO:
A 26.ª edição do Ponche Verde tem inscrições até 21 de setembro e, na triagem, serão selecionadas 14 composições. Os prêmios serão de R$ 3 mil
para o primeiro lugar, R$ 2 mil para o segundo e R$ 1 mil para o terceiro. Regulamento:

-Da Organização:
Art. 1º - O Ponche Verde da Canção Gaúcha – 26ª Edição – será realizado pela Prefeitura Municipal de Dom Pedrito, através de uma Comissão Organizadora nomeada pelo Senhor Prefeito Municipal, via Decreto, especialmente para tal fim.
-Art. 2º - O Festival será realizado nos dias 11, 12 e 13 de novembro de 2011, tendo por local o Parque Juventino Correa de Moura, da Associação Rural de Dom Pedrito.
-Art. 3º - A linha Musical do Ponche Verde da Canção Gaúcha – 26ª Edição – será Música Campeira do Rio Grande do Sul, respeitando seus ritmos e variações.

Da Participação:
-Art. 4º - Poderão participar do festival, compositores de qualquer parte do país ou estrangeiros, desde que se submetam a este regulamento.
-Art. 5º - Cada autor poderá inscrever, individualmente ou em parceria, até quatro (04) composições, podendo ser classificada no máximo duas (02)
-Parágrafo Único: A ficha de Inscrição deverá ser preenchida com todos os dados solicitados, bem como constar obrigatoriamente o nome do Intérprete
-Art. 6º - As composições deverão ser inéditas, entendendo-se como tal àquelas não gravadas, impressas, editadas ou publicadas em qualquer veículo de comunicação de massa, podendo, entretanto, ter participado de eventos do gênero, desde que não tenham sido premiadas ou finalistas.

-Art. 7º - As composições deverão ser apresentadas em CD e devidamente identificadas, sendo um CD para cada composição.
-Art. 8º - A qualidade da gravação será importante para a avaliação na triagem, podendo a composição ser apresentada plenamente arranjada.
-Art. 9º - Cada inscrição deverá ser acondicionada em apenas um (01) envelope, identificado em seu exterior apenas o título da composição, mesmo que o pacote remetido ao festival
contenha mais de uma inscrição.
-Art. 10 - Cada composição deverá ser acompanhada de quatro (04) cópias de letras, nas quais deverão constar apenas o ritmo e o título da composição, sem identificação do autor.

-Art. 11 - Serão pré-classificadas na triagem até quatorze (14) músicas.
-Parágrafo único: As composições pré-selecionadas serão apresentadas em duas etapas, sendo sete (07) no dia 11, e sete (07) no dia 12.

-Art. 12 – As composições pré-selecionadas farão parte do CD do evento.
-Art. 13 - As inscrições estarão abertas até o dia 21 de setembro de 2011, no seguinte endereço:Assessoria de Tradição e Folclore; Turismo e Lazer, Praça General Osório – (Prédio
da Caixa D’água), CEP 96450-000, Dom Pedrito – RS, Informações:0xx (53) 3243 3177 ramal 216 – Assessoria de Turismo; 0xx (53) 99648358 c/ Gladis Marly Xavier e ou
gladismarly@hotmail.com, 0xx (53) 99620081 c/ Luiz Carlos Santana

-Da Ajuda de Custo:
-Art. 14 - A cada composição pré-selecionada atribuir-se-á uma ajuda de custo (direito autoral e de arena) de:
a)Dois mil reais para as composições apresentadas no palco do Ponche Verde da Canção Gaúcha- 26ª Edição, incluída a gravação em estúdio indicada pela Comissão Organizadora;
sendo pago da seguinte forma:
- Hum mil Reais, após a passagem de palco;
- Hum mil Reais, após a gravação.

-Art. 15 - A Comissão Organizadora não fornecerá alimentação aos concorrentes, mas haverá no Local estrutura montada para essa finalidade, a expensas de cada um.
-Art. 16 - Haverá Local disponível para barracas na “Cidade de Lona”, destinado àqueles que optarem por acampar, mediante locação.

Da apresentação:
-Art. 17 - Na composição dos grupos que defenderão os trabalhos pré-classificados, serão aceitos no mínimo três (03) e no máximo sete (07) músicos.
-Art. 18 - O uso do instrumental será livre, de inteira responsabilidade dos concorrentes. Haverá, no palco, bateria à disposição.
-Art. 19 - Cada conjunto ou músico, não poderá defender mais de duas (02) composições concorrentes e, no final, não será permitida a substituição de qualquer um deles, sob pena de
desclassificação.
-Art. 20 - Cada interprete poderá defender apenas duas (02) composição (individualmente ou com acompanhamento).
-Parágrafo Único – Na interpretação, quem utilizar o recurso da leitura, não concorrerá ao prêmio de melhor interprete e, se for o caso, servira de critério de desempate para outras
premiações.
-Art. 21 – Todos os concorrentes deverão subir ao palco trajando, indumentária típica do Rio Grande do Sul, não sendo permitida qualquer descaracterização, como o uso de tênis, camisetas, bonés, Baby Look, etc.
-Parágrafo Único – Ficam proibidas as vestimentas e/ou adereços contendo caracteres publicitários e ou/ de conotação política.
-Da Premiação:
Art. 22 – A premiação do Ponche Verde da Canção Gaúcha – 26ª Edição – será a seguinte:
1º Lugar: R$ 3.000,00 ( Três mil reais) mais troféu.
2º Lugar: R$ 2.000,00 (Dois mil reais) mais troféu
3º Lugar: R$ 1.000,00 (Hum mil reais) mais troféu.
Música mais Popular: R$ 800,00 (oitocentos reais) mais troféu
Melhor Poesia: troféu
Melhor Melodia: troféu
Melhor Intérprete: troféu
Melhor Tema sobre a Paz: troféu
Melhor Instrumentista: troféu
Melhor Acampamento: Troféu

Disposições Gerais:
Art. 23 – A Comissão Organizadora do Ponche Verde da Canção Gaúcha – 26ª Edição – não se compromete a credenciar familiares ou acompanhantes dos concorrentes.
Art. 24 - Todo o concorrente, uma vez inscrito no Ponche Verde da Canção Gaúcha – 26ª Edição – estará, automaticamente, autorizando a Comissão Central do evento a gravar e divulgar o seu trabalho em CD e DVD resultantes do mesmo.
Parágrafo único – Os autores das composições classificadas, serão comunicados em tempo hábil e só subirão ao palco, se tiverem suas fichas técnicas assinadas e a autorização para a gravação da música em CD, devidamente assinada e registrada em cartório.
Art. 25 - A Comissão Organizadora e o Corpo de Jurados são inteiramente responsáveis e soberanos em suas decisões, sendo estas irrecorríveis.
Art. 26 – O credenciamento de representantes da imprensa, apresentados por ofício à Comissão Organizadora do Festival, obedecerá aos seguintes critérios:
a)Jornais, dois (02) profissionais;
b)Emissoras de Rádio, três (03) profissionais;
c)Emissora de TV, quatro (03) profissionais.
Art. 27 – As omissões e dúvidas serão examinadas e resolvidas soberanamente pela comissão organizadora do Ponche Verde da Canção Gaúcha – 26² Edição.

FICHA DE INSCRIÇÃO:
Título da Composição: .................................
Ritmo básico:......................
Autor da Letra:.................................
RG:............................. CPF:................
Cidade:................................CEP:..........
Rua:......................................Nº: ...........
Telefone:..........................

Autor da Música:............................
RG:.....................CPF:...........
Cidade:....................... CEP:....................
Rua:........................... Nº: ..........
Telefone:................
Informar o nome da pessoa credenciada a receber ajuda de custo:
Nome: ................................
RG: .................... CPF .................
Em caso de classificação na pré-seleção a composição será defendida no palco do festival por:.....................

Em............de.....................de 2011.
................................................
Autor da letra - Autor da música
.......................


*FRONTEIRA DA CANÇÃO: conforme os organizadores, o projeto pretende incluir a cidade no roteiro dos grandes eventos do gênero na região sul. O festival será realizado no dia 1º de outubro no CTG Fronteira da Querência, a partir 20 horas. Não há limite para as inscrições. No total serão selecionadas 12 músicas para a final. Na organização está o Grupo Folclórico Parceria. Regulamento:
Capítulo I DA REALIZAÇÃO
Art. 1º O festival Fronteira da Canção Nativa é uma promoção do Grupo Folclórico Parceria que é uma associação devidamente registrada.
Parágrafo único: O 1º Fronteira da Canção Nativa será realizado em etapa única, no dia 1 de outubro de 2011, com inscrição e triagem musical previamente ocorrida conforme segue o regulamento.

Capitulo II DO OBJETIVO
Art. 2º O 1º Fronteira da Canção Nativa tem como objetivo:
-Parágrafo Primeiro: Transformar em música o sentimento, experiência de vida e relações sociais dos habitantes do MERCOSUL com as características do folclore a que está ligado.
-Parágrafo Segundo: Integrar a população em um evento de arte.
-Parágrafo Terceiro: Proporcionar um espaço para divulgação de trabalhos inéditos por músicos de diversas regiões com suas particularidades.
-Parágrafo Quarto: Desmistificar as fronteiras geográficas não como linhas divisórias, mas como região de integração entre os povos.
-Parágrafo quinto: Registrar a produção musical em CD e ou DVD.
-Parágrafo sexto: Promover o município de Concórdia como pólo de arte.
-Parágrafo sétimo: Premiar os músicos e obras interpretadas conforme especificidades descritas no regulamento.

Capítulo III DAS INSCRIÇÕES
Parágrafo Único: O 1° Fronteira da Canção Nativa possuirá apenas uma linha de competição com ritmos que se identificam com o folclore gauchesco, de modo nativista-regionalista e as influências sul-americanas.
Art. 3° Não haverá distinção em categorias masculinas e femininas.

Art. 4° As inscrições de músicas começarão no dia 02 de maio e se estenderão até 15 de julho, sendo esse último dia, o prazo final de recebimento, não importando a data de postagem
do material.

Art. 5° As informações para inscrições bem como para dúvidas gerais, estarão nas seguintes mídias: Site: http://www.fronteiradacancao.com.br, E-mail: fronteiradacanção@gmail.com
Blog: http://www.fronteiradacancao.blogspot.com

A música deverá ser no formato mp3, gravada em um cd. Junto ao cd, deverão ser encaminhadas 6 cópias da letra (com versão traduzida nos casos de letras em espanhol) sem identificação dos autores. Ainda, deverá ser encaminhada a ficha de inscrição preenchida integralmente.
PARA AS MÚSICAS CLASSIFICADAS
Parágrafo único: Os autores que tiverem suas composições classificadas, bem como os intérpretes, deverão encaminhar a autorização de uso da obra para gravação de cd/dvd, divulgação em mídias e direito de arena por escrito e reconhecido firma em cartório, modelo disponibilizado pela Comissão Organizadora. Deverão também anexar comprovante de residência os autores da música para fins de ajuda de custo. A data limite para recebimento de toda documentação obrigatória será divulgada juntamente com a lista de músicas classificadas e estará disponível nas mídias do evento. >TODA DOCUMENTAÇÃO SOLICITADA DEVERÁ SER ENTREGUE PESSOALMENTE OU ENVIADOS POR CORREIO PARA O ENDEREÇO: RUA 29 DE JULHO, 150, SALA 201, CENTRO, CONCÓRDIA-SC CEP
89700-000

Art. 6° Cada intérprete poderá participar apenas de uma música como solista e outra como dueto ou grupo vocal.
Art. 7° Cada autor poderá inscrever no máximo duas composições.
Art. 8° Cada instrumentista poderá participar de quantas músicas lhe convier, não havendo número limite.
Parágrafo Único: Não serão aceitas inscrições de composições somente instrumentais.
Art. 9° Poderão participar letras nos idiomas português e espanhol (as composições em espanhol deverão ser acompanhadas de letras traduzidas).

Art. 10° As composições deverão ser inéditas.
Parágrafo Único: Entende-se por inéditas as composições que não possuírem divulgações de
quaisquer tipo, como CD, DVD, rádio, TV e internet.
Art. 11° Cada música poderá ser apresentada no palco com o mínimo de dois integrantes e o máximo de sete.
Art. 12° Cada música deverá ter duração de no mínimo 2 minutos e máximo 6 minutos.

Art. 13° Não estarão autorizados a apresentar a música concorrente os integrantes da composição que não enviaram a documentação no tempo solicitado.
Capítulo IV DA TRIAGEM
Art. 14° Será realizado entre os dias 01 e 20 de agosto.
Parágrafo Único : a Comissão Organizadora irá excluir obras que não se enquadrarem no regulamento do Festival Fronteira da Canção Nativa.
Art. 15° A divulgação das classificadas será feita no dia 21 de agosto.
-Parágrafo Primeiro: os responsáveis pelas obras classificadas terão até o dia 31 de agosto para enviar à comissão organizadora a versão final da música que será diretamente mixada para o CD do festival. Não sendo enviado, a versão que irá integrar o CD será a mesma da triagem.
-Parágrafo Segundo: A comissão julgadora será anunciada nos primeiros dias das inscrições.
-Parágrafo Terceiro: Serão selecionadas 12 composições, sendo no mínimo 4 da região da AMAUC e 8 sem delimitação de limites geográficos.

(AMAUC - Associação dos municípios do alto Uruguai Catarinense (Alto Bela Vista, Arabutã, Arvoredo, Concórdia, Ipira, Ipumirim, Irani, Itá, Jaborá, Lindóia do Sul, Paial, Peritiba, Piratuba, Presidente Castelo Branco, Seara e Xavantina).)
Capítulo V DA AJUDA DE CUSTO
Art. 16° No ato da inscrição é obrigatória a identificação do integrante apto a receber a ajuda de custo.
Art. 17° A ajuda de custo será de R$ 1000,00 para as músicas de fora da região da AMAUC, e de R$ 500,00 para as da região da AMAUC, a fim de ajuda de custo, direito de arena e
gravação da obra em cd/dvd.
Art. 18° A ajuda de custo será paga no momento exato da saída de palco após apresentação da música, mediante comprovação através de RG e ou CPF do integrante responsável pela música
e respeitadas as regras de disposições do festival.
Art. 19ºTodos os músicos receberão alimentação após apresentação das músicas.
Art. 20º Os músicos participantes de fora da região da AMAUC receberão hospedagem gratuita.
Parágrafo Único: acompanhantes não serão beneficiados pela hospedagem e alimentação.

Capítulo VI DA PASSAGEM DE SOM E APRESENTAÇÃO NO PALCO
Art. 21° Os músicos deverão estar no local da passagem de som no horário determinado após divulgação da triagem.
Art. 22° As músicas que não tiverem passado som no horário estipulado serão automaticamente desclassificadas.
Art. 23° A indumentária que os músicos e intérpretes vestirão deverá ser condizente com o tema expresso, guardadas as peculiaridades de cada música e a região que representa.
Art. 24° Fica expressamente proibida a propaganda comercial de qualquer natureza, sob pena de desclassificação e retirada da ajuda de custo.

Capítulo VIII DA PONTUAÇÃO
Art. 25° As músicas serão avaliadas conforme os seguintes critérios:
Letra-2 pontos
Intérprete 2 pontos
Apresentação instrumental 1,5 pontos
Melodia 1,5 pontos
Arranjo 1,5 pontos
Apresentação em palco 1,5 pontos


Capítulo IX DA PREMIAÇÃO
Art. 26° As categorias premiadas bem como valores respectivos e troféus serão os seguintes:
1 lugar R$ 1000,00 troféu Fronteira da Canção
2 lugar R$ 500,00 troféu Concórdia
3 lugar R$ 300,00 troféu Parceria
Música mais popular R$ 200,00
Melhor intérprete R$ 200,00
Melhor letra R$ 200,00
Melhor arranjo R$ 200,00
Melhor instrumentista R$ 200,00

Art. 27º A música mais popular será definida através de urnas que estarão dispostas entre o público e que receberão votos individualmente da plateia após apresentação das concorrentes.
Capítulo X Disposições Gerais
Art.28º Capítulo XI DOS CASOS OMISSOS
Art. 29° A comissão executiva irá reservadamente solucionar casos omissos ao regulamento.

* CRÉDITOS: Fonte -www.jornalnh.com.br/blogs/abc-do-gaucho.

História do Rio Grande do Sul

Herrmann Rudolf Wendroth: Mapa da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul em 1852.


história do Rio Grande do Sul, o estado mais ao sul do Brasil, inicia-se com a chegada do homem à região, cerca de 11 mil anos atrás. Suas mudanças mais dramáticas, no entanto, ocorreram nos últimos cinco séculos, depois do descobrimento do Brasil. Esse percurso mais recente transcorreu em meio a diversos conflitos armados externos e internos, alguns de grande violência. Guilhermino César dizia, justificadamente, que essa história "é um dos capítulos mais recentes da história brasileira", pois quando no Nordeste já se cantavam missas polifônicas, este estado ainda era ocupado por um punhado de povoados e estâncias de gado portuguesas no centro-litoral, e o sul-sudeste era uma "terra de ninguém" onde frequentemente incursionavam tropas espanholas mandadas porBuenos Aires, defendendo os interesses da Coroa Espanhola, proprietária legal da área nessa época. Essencialmente, o Rio Grande do Sul, até o fim do século XVIII, era uma região virgem habitada por povos indígenas. Os únicos focos importantes de civilização e cultura européias em todo o território até esta altura eram um brilhante grupo de reduções jesuítasfundado no noroeste, destacando-se entre elas os Sete Povos das Missões. Entretanto, sendo de criação espanhola, até há pouco tempo as Missões eram vistas como sendo um capítulo à parte da história do estado, tanto mais por não terem deixado descendência cultural direta significativa. Em anos recentes, entretanto, vêm sendo assimiladas à historiografia integrada do estado.
Na primeira metade do século XIX, após muitos conflitos e tratados, obtendo Portugal a posse definitiva das terras que hoje compõem o estado, expulsos os espanhóis, desmanteladas as reduções e massacrados ou dispersos os índios, se estabeleceu uma sociedade de matriz claramente portuguesa e uma economia baseada principalmente no charque e no trigo, iniciando um florescimento cultural nos maiores centros do litoral - Porto AlegrePelotas e Rio Grande. Esse crescimento contou com a contribuição de muitos imigrantes alemães, que desbravaram novas áreas e criaram culturas regionais significativas e economias prósperas, bem como com a força de muitos braçosescravos. Em 1835 iniciou um dramático conflito que envolveu os gaúchos numa guerra fratricida, a Revolução Farroupilha, de caráter separatista e republicano. Finda a guerra a sociedade pôde se reestruturar. No final do século o comércio se fortaleceu, chegaram imigrantes de outras origens como italianos e judeus, e na virada para o século XX o Rio Grande do Sul havia se tornado a terceira maior economia do Brasil, com uma indústria em ascensão e uma rica classe burguesa, mas ainda era um estado dividido por sérias rivalidades políticas, e houve mais crises sangrentas. Nessa época o Positivismo delineava o programa de governo, criando uma dinastia de políticos herdeiros de Júlio de Castilhos que governou até os anos 1960 e influiu em todo o Brasil, especialmente através de Getúlio Vargas, que em sua origem fora castilhista. No período da ditadura militar o Rio Grande do Sul enfrentou muitas dificuldades no que diz respeito à liberdade de expressão, como enfrentou todo o país, mas o crescimento econômico do Milagre Brasileiro propiciou investimentos na infraestrutura. No final do ciclo, porém, o estado havia acumulado enorme dívida pública. Nas últimas décadas o estado vem consolidando uma economia dinâmica e diversificada, ainda que bastante ligada ao setor agropecuário, e vem ganhando fama como tendo uma população politizada e educada. Ainda que existam muitos desafios a serem vencidos e grandes diferenças regionais, em geral melhorou sua qualidade de vida alcançando índices superiores à média nacional, projetou-se culturalmente em todo o Brasil e iniciou um processo de abertura para outros cenários em face da globalização, enquanto que passava a prestar mais atenção às suas raízes históricas, à sua diversidade interna, aos excluídos e minorias, e ao seu ambiente natural.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Calendário dos Festivais 2011




JANEIRO

04 a 06
ACAMPAMENTO DE ARTE GAÚCHA – TAPES – 103 km de POA
APA – ASSOCIAÇÃO PROMOTORA DO ACAMPAMENTO DE ARTE GAÚCHA
Inf.: Maria Py (51) 3672-1877
e-mail:turismo@tapes.rs.gov.br

11 a 13
GAUDERIADA DA CANÇÃO GAÚCHA - ROSÁRIO DO SUL – 386 km de POA
Inf. Marta Eleja Lima Pereira
Fone – Fax 55- 3231.2059

18 a 20
CANTE UMA CANÇÃO EM VACARIA - VACARIA 240 Km de POA
CTG. PORTEIRA DO RIO GRANDE
Inf. Antônio Adalmir Alves

25 a 27
COMPARSA DA CANÇÃO - PINHEIRO MACHADO – 350 km de POA
PREFEITURA MUNICIPAL
Inf.: (053)3248-1526 e 99786806

25 A 27
IBICUÍ DA CANÇÃO – MANOEL VIANA – 525 - Km de POA
Inf.: Adão Quevedo f.: (53) 9102 5812

30
ENCONTRO DE PAJADORES – PORTO ALEGRE
Inf.: Paulo Mendonsa (51) 91214270

31
RIO GRANDE CANTA AÇORES – CAPAO DA CANOA – 130 km de POA
Inf.: Ivo Ladislau, Fone 051. 9328.4330


FEVEREIRO

22 e 23
LEVANTE DA CANÇÃO GAÚCHA - CAPÃO DO LEÃO 259 Km de POA
CASA DE CULTURA DE CAPÃO DO LEÃO
Inf. HUGO (53)3275 1517 e 8117 3864 festadamelancia@bol.com.br

MARÇO

07 a 09
REPONTE DA CANÇÃO - SÃO LOURENÇO DO SUL – 196 km de POA
SECRETARIA DE TURISMO INDUSTRIA E COMÉRCIO
Inf. Srª Joice Adriane Kaul (53) 3251-3002

22, 28 a 30
CANTO DA LAGOA - ENCANTADO – 132 km de POA
SECRETARIA DA INDUSTRIA , COMÉRCIO E TURISMO
Inf.: (51) 3751-3400 e 3751-3290– Fax:3751-3050
E.mail – indcom@encantado-rs.br Site www.cantodalagoa.com.br

27 a 30
CANTO MISSIONEIRO DA MÚSICA NATIVA – SANTO ANGELO – 455 km – de POA
Inf.: André Kryszczun ou Leoveral Soares fone:, (55) 3312 0100


ABRIL

02,03 e 04
BICUIRADA CANÇÃO NATIVA – SANTA MARIA
Informações Prefeitura Municipal – (53)n 3231.1311

11 a 13
GALPONEIRA - BAGÉ – 400 km – de POA
SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA
Inf.: Liquinho (53) 3242- 9012 e 3242-6012 E mail: smc@alternet.com.br

19
O RIO GRANDE CANTA COOPERATIVISMO – LAGEADO
Informações OCERGS – Zigomar ou Aguiar (51) 3323.0000


MAIO

16 a 18
MINUANO DA CANÇÃO NATIVA – SANTA MARIA – 287 km – de POA
Informações: kuka Pereira – f.: (51) 3344-7188: (51) 9984-0548
SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA e Site: www.minuanodacancao.com.br

18 a 20
SAPECADA DA CANÇÃO NATIVA – LAGES/SC – 320 km – de POA
FUNDAÇÃO CULTURAL DE LAGES
Inf.: Carla Arruda: (49) 3224-7425 e-mail: sapecadafestival@hotmail.com


23 a 25
FESTIVAL ECO DOS VALES – SANTA CRUZ DO SUL
Inf: Tinho Almeida (51) 9652.6305 e (55) 9983.0871




29, 31/05 e 1°/06
CARIJO DA CANÇÃO GAÚCHA - PALMEIRA DAS MISSÕES – 368 km - POA
SECRETARIA DE CULTURA DESPORTOE TURISMO
Inf.: (55) 3742-1583 e-mail: pmcultura@mksnet.com.br Site: www.carijo.com.br


JUNHO


06 a 08
QUERÊNCIA DO BUGIO – SÃO FRANCISCO DE ASSIS 480 km – de Porto Alegre
Inf.:ERI CORTÊS = (55) 3252 1680

A DEFINIR
GRUTA EM CANTO – NOVA ESPERANÇA DO SUL – 460 km – de Porto Alegre
Secretaria Municipal de Turismo, Lazer e Meio Ambiente
Inf.: Cláudio Brasil ou Elisandra Saciloto fone:, (55) 3250-1150

13 e 14
VIGÍLIA DO CANTO GAÚCHO – CACHOEIRA DO SUL –169 km – de POA
Inf.: Núcleo Municipal de Cultura fone (51) 3724 6025 E.mail: cultura@cachoeiradosul.rs.gov.br

13, 14 e 15
1ª CONVENÇÃO NATIVISTA DE JULIO DE CASTILHOS – 374 km de POA
Inf: Dartagnan da Silva Portela (55) 3271.1327 e 9979.0949

21 a 22
FESTIVAL DA MATA – MATA – 384 km – de Porto Alegre
Prefeitura Municipal fone: (55) 3259 1122

26, 27 e 28
RONDA DE SÃO PEDRO – SÃO BORJA – 589 km – de POA
Inf.: Profº Vanildo ou Juliani fone (55) 3431 2797


JULHO

24 a 27
COXILHA NATIVISTA - CRUZ ALTA – 341 km – de POA
Inf.: (55) 322-7777 e 322-6595.

AGOSTO

07 a 09
GRITO DO QUERO – QUERO ROSÁRIO DO SUL 386 km – de Porto Alegre
Inf.: ALINE FERRÃO (55) 3231.5201 e 9935.6781

07 A 09
GUYANUBA DA CANÇÃO NATIVA - SAPUCAIA DO SUL – 19 km – de POA
nf.: Dorval Dias (51)592-4606 e 99897603

15
O RIO GRANDE CANTA O COOPERATIVISMO - 1ª etapa - SOLEDADE 220 Km. POA
Inf. OCERGS - Zigomar ou Aguiar (51) 3323 0000

15 a 17
MOENDA DA CANÇÃO - SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA – 77 km – de POA
Inf.: Carmem Monteiro(51) 662-3808


SETEMBRO

05
O RIO GRANDE CANTA O COOPERATIVISMO - 2ª etapa – LAGOA VERMELHA 320 Km. POA
Inf. OCERGS - Zigomar ou Aguiar (51) 3323 0000

12 A 14
RONCO DO BUGIO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 112 km – de POA
Inf.: Tiago e Nilson Monarca de Marca Maior (54)3244-1602 fax (54)32441111
Centro de Informações Turística

A DEFINIR
SESMARIA DA POESIA GAÚCHA – OSÓRIO – 98 km – de POA
ASSOCIAÇÃO CULTURAL SESMARIA
Inf. Romeu Weber 051- 663.3004 – 663.1095 e 9127

05,06 e 07
FESTIVAL LAÇADOR DO CANTO NATIVO – PORTO ALEGRE
Inf: Andréia Martins (51) 9903.178

OUTUBRO

04
O RIO GRANDE CANTA O COOPERATIVISMO - 3ª etapa – URUGUAIANA – 619 KM POA
Inf. OCERGS - Zigomar ou Aguiar (51) 3323 0000

10 a 12
INVERNADA MISSIONEIRA – SANTO ANTONIO DAS MISSÕES / 476 KM POA
Inf: Horácio Jacques (55) 3367.1552 e 9966.5559

A DEFINIR
ESTÂNCIA DA CANÇÃO GAÚCHA - SÃO GABRIEL – 324 km – de POA
SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO
Inf.: Secretário de Turismo Sr Édjor Borges (55) 3232-1008
Presidente do Festival Sr . Alex Silveira (55) 9974-5360

23, 24 e 25
ESCARAMUÇA DA CANÇÃO GAUDERIA – TRIUNFO – 75 km – de POA SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO, CULTURA E DESPORTO
Inf.: Srª Silvia Fone (51) 654-1223 -654-6027

A DEFINIR
ACORDE DA CANÇÃO NATIVA – CAMAQUÃ - 130 KM de POA
PREFEITURA MUNICIPAL e SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA
Inf. Priscila (51) 36715288 e 3692-2291 e 99610015
e-mail: culturacamaqua@ibest.com.br

31
O RIO GRANDE CANTA O COOPERATIVISMO - 4ª etapa – SÃO MIGUEL DAS MISSÕES – 500 KM POA
Inf. OCERGS - Zigomar ou Aguiar (51) 3323 0000


NOVEMBRO


07, 08 E 09
PONCHE VERDE DA CANÇÃO - DOM PEDRITO – 498 km – de POA
PREFEITURA MUNICIPAL – RADIA UPACARAI
Inf.: Sergio Roberto (53) 9975 1633 e Carlos Reinaldo (53) 9971 0339

14, 15 e 16
SAPUCAI DA CANÇÃO NATIVA - SÃO VICENTE DO SUL - RS
Inf: Luiz Paulo Flores e-mail: luizpauloflores@bol.com.br e (55) 3257-2804
81212014


A DEFINIR
ALDEIA DA MUSICA DO MERCOSUL - GRAVATAI – 15 Km de POA
FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ARTE E CULTRURA
Inf. Viviane Pimenta- Fone 51.9963-0391 051- 34846681 e 34885205
e-mail: fundarc@gravatai.rs.gov.br e www.gravatai.rs.gov.br


29
O RIO GRANDE CANTA O COOPERATIVISMO - FINAL – TAQUARI – 121 KM POA
Inf. OCERGS - Zigomar ou Aguiar (51) 3323 0000


30/11 a 03/12
MUSICANTO – SANTA ROSA – 480 km – de Porto Alegre
SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA, DESPORTO LAZER E TURISMO
Inf.: Edemir (55) 35126854 / 35125892


DEZEMBRO

04 a 07
CALIFÓRNIA DA CANÇÃO NATIVA – URUGUAIANA – 640 Km de POA
Informações: 055 – 3411 -0476

12 a 14
MARTIN FIERRO – SANTANA DO LIVRAMENTO – 488 km – de Porto Alegre
CENTRO DE CULTURA UM CANTO PARA MARTIN FIERRO
Inf.: Sérgio Caslvet Couto 051 . 471.9127 e 9632.0503
Inf.: Anomar Danúbio Vieira (51) 9268.6787
e-mail: festival@martinfierro.art.br Site www.martinfierro.art.br





FONTE: INSTITUTO GAÚCHO DE TRADIÇÃO E FOLCLORE.
http://www.igtf.rs.gov.br/

Subscribe Now: google

Add to Google Reader or Homepage

Subscribe Now: poweredby

Powered by FeedBurner

VENTO SUL PRODUÇÕES ARTÍSTICAS

VENTO SUL PRODUÇÕES ARTÍSTICAS
Contatos pelo fone: (53) 9934-6243 = Barão de Cotegipe nº 748 centro - CEP: 96200-290
Estamos produzindo este programa Tradicionalista, com todo o carinho que o Rio Grande do Sul merece, e o alcance atualmente é de 18 municípios pela tv aberta, irá ao ar também pela VIA CABO E NET.
Get the Flash Player to see this player.
Adicionar aos Favoritos

Follow by Email

SEJA BEM VINDO AO BLOG DO PROGRAMA VENTO SUL.

Muito obrigado por visitar o blog do Programa Tradicionalista Vento Sul, fique à vontade, é um prazer imenso tê-lo conosco, volte sempre.

Um grande abraço.

Clovis Fonseca

Produtor e Diretor.

Rio Grande/RS.

PROGRAMA VENTO SUL

PROGRAMA VENTO SUL
A tradição do Rio Grande do Sul

O que você gostaria de ver no programa?

Loading...

Semana Farroupilha

Postagens populares